Review - Irix 15mm 2.4 firefly

Um review simples e descomplicado sobre a Irix 15mm 2.4, a melhor ultra wide fixa para nikon?


Após uma longa busca por uma ultra wide que prestasse (pois sempre odiei a 16-35 f4), será que a Irix será aprovada no teste?


Irix 15mm 2.4 firefly

O Dilema!

Todo fotógrafo apaixonado por landscape (fotografia de paisagens), sabe da importância de se ter uma lente super grande angular. Sabe também que tais lentes em geral são muito caras, pesadas e pra piorar, muitas vezes não aceitam filtros.

Eu sei bem da dificuldade em solucionar este dilema, principalmente para mim que fotografo com Nikon (a Canon tem diversas opções de lentes entre 14 e 17mm). Cheguei a comprar a Nikon 16-35, que me parecia uma excelente opção, contudo fiquei tremendamente desapontado com a qualidade ótica da lente e tive que me desfazer dela. Consegui outras 2 cópias emprestadas e o resultado era sempre o mesmo, os cantos das imagens sofriam com uma distorção brutal, que inviabilizava o uso da foto. Cheguei então a cogitar comprar a Tamron 15-30, mas o alto preço e o peso falaram mais alto. Voltei a estaca zero e seguia dependente da maravilhosa Nikon 18-35 que, apesar de ser uma de minhas lentes favoritas, não satisfazia meu desejo por um maior ângulo de visão.

Foi então que me deparei com a Irix 15mm 2.4, uma lente ousada, com preço razoável e com excelentes reviews pela internet. Arrisquei, comprei uma e agora, mais de 1 ano depois, escrevo esse review sobre minha experiencia de uso. Evitarei ser muito técnico, pois quero focar no dia a dia da lente, como ela se comporta e quais são seus pontos fracos e fortes. Contudo, por se tratar de uma lente mais especializada, serei um pouco mais profundo nos comentários, o que exigirá um certo conhecimento por parte dos leitores.


Características


Desenhada na suíça pela IRIX, a lente é fabricada na China e apresenta duas versões, a mais barata Firefly e a Blackstone. Ambas possuem exatamente a mesma qualidade ótica, contudo, a blackstone é feita de uma liga de magnésio e alumínio e possui uma maior vedação aos elementos. Como não existe almoço grátis, a Blackstone é bem mais cara e pesada que sua irmã mais modesta, a Firefly (US$ 675 e 685g contra US$ 425 e 581g). Isso foi determinante para minha escolha da Firefly, não consegui ver muito sentido em pagar muito mais por uma lente com a mesma performance, e que ainda seria mais pesada.

Apesar da construção mais simples que de sua irmã mais cara, devo dizer que fiquei impressionado com a qualidade da Firefly. Trata-se de uma lente bastante robusta e bonita.

Ambas contam apenas com foco manual, mas possuem conectores eletrônicos para informar a câmera a respeito da lente utilizada e para que a escolha da abertura possa ser feita através da câmera. O anel de foco possui movimento muito suave e vai da distância mínima ao infinito em aproximadamente meio giro. Possui ainda um click bem notável na marcação do infinito.

Existe ainda a possibilidade de encaixar pequenos filtros ND na parte traseira da lente, uma característica que parece interessante, mas que, na prática, deixa a desejar, como falarei mais a frente.


Por fim, vale ressaltar que não se trata de uma lente compacta. A Irix 15mm é uma lente

grande, com 14cm de comprimento e 10 cm de largura, e utiliza filtros de 95mm, que são um tanto gigantes. Apesar disso, a possibilidade de se utilizar um porta filtros desenvolvido pela própria marca, e que custa “apenas” US$ 80 foi fundamental para minha escolha, tendo em vista que amo fazer longas exposições. Vale ressaltar que nem a Tamron 15-30 nem a Samyang 14mm aceitam filtros, devido a seus grandes elementos frontais côncavos.



Dia a Dia com a Lente


Quando viajo costumo fazer longas caminhadas para fotografar e, nesses dias, eu sinto falta da versatilidade de uma lente zoom. Quando decido por a Irix na mochila, quase sempre me vejo obrigado a levar a Nikon 18-35 junto, acrescentando quase 400g ao kit (que pode chegar a 6kg com tripé e 3 lentes). O foco manual é fácil de ser utilizado, afinal, em uma lente 15mm a tendência é que tudo esteja sempre em foco. As marcas são muito visíveis e o anel de foco se desloca com a resistência ideal, não sendo tão leve nem tão pesado. Diria que não é necessário experiência prévia com lentes de foco manual para conseguir operar corretamente a Irix.

Com relação a resistência a chuva, apesar de se tratar da firefly, que possui proteção mais simples que a Blackstone, não foram poucas as vezes que fotografei em situações de garoa ou chuva bem leve e até hoje não tive nenhum tipo de problema com a lente. Quando a chuva aperta, eu nunca fico para fotografar, afinal gosto de usar tripé e fazer longas exposições, algo difícil de se fazer com chuva forte.


Como falei anteriormente, a Irix possui uma abertura traseira que permite a inserção de filtros ND vendidos separadamente, mas que possuem um preço bastante acessível. Os filtros disponíveis são de 1, 2 e 3 stops e podem até mesmo ser combinados. Comprei o Kit de filtros e até tentei usar, mas para inseri-los você deve tirar a lente da câmera, colocar os filtros com uma pinça enquanto a poeira entra no sensor da sua câmera e. só então, voltar a encaixar a lente e fotografar. É um processo demorado e pouco prático, o que me leva a dizer que os filtros são uma grande perda de dinheiro (ao menos no meu ponto vista).